Categories Inspiração

A estrada é uma escola

Posted on
A estrada é uma escola

Não quero entrar no clichê de “como me tornei uma pessoa melhor” depois de passar 16 dias viajando pela África. Mas a verdade é que viagens realmente mudam a gente. Seja no sentido mais banal, de gravarmos na memória lugares e pessoas novas, como no sentido mais profundo de mudar totalmente alguns valores e filosofias que aprendemos na nossa cultura de origem.

Há muitos tipos de viagens dentro da África. Tem a viagem de luxo, a de história, a de natureza. Fiz todas elas e, como nunca, sinto que voltei diferente. Voltei com um respeito enorme pelos animais, e com a convicção de que nunca mais piso em um zoológico – faz toda a diferença vê-los livres, selvagens. Voltei com muito mais respeito pelas pessoas também, que sem me conhecerem foram amáveis, generosas, curiosas, humanas. Quero ser mais humana, como elas.

Voltei com um respeito imenso por todos os sul-africanos, que ainda lutam contra resquícios do apartheid, e um respeito muito grande, na verdade, por todas as etnias e minorias que sofrem com preconceito – muitas vezes, e até hoje, embasado por leis. Voltei com um interesse latejante em conhecer melhor a história de todos os povos que, principalmente, lutam pela liberdade. De certa forma, viajei para fazer matérias de turismo e voltei muito mais politizada.

Também voltei mais consciente de toda a minha riqueza, material ou não. E estou determinada a jamais esquecer o quanto o universo é bom comigo. Que eu só preciso perceber e aceitar essa felicidade. Às vezes a gente esquece.

Nossa, como uma viagem pode mudar a nossa cabeça. Espero que essa percepção perdure, pelo menos até a próxima grande viagem. Sempre haverá grandes viagens – eu cresci, mas o mundo ainda tem muito a me ensinar. Por isso que me dedico a essa faculdade, o estudo de lugares, pessoas, culturas, vivências. A estrada é a minha escola.

Facebook Comments

Author: Raíra Venturieri

Raíra Venturieri é jornalista, roteirista, escritora, filósofa de boteco e sim, bem tagarela. Foi repórter do Guia Quatro Rodas e tem matérias publicadas nas revistas Viagem e Turismo, Host & Travel e Viaje Mais, entre outras.



0 comments

  1. Minha querida filha, senti de alguma forma a pulsação da Africa através do seu relato. Seu texto é, ao mesmo tempo, simples e denso, carregado de emoção e de sensibilidade, tão peculiar a uma pessoa muito especial e adorável como você. Orgulho-me muito de você. Beijo carinhoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *