Categories Viagem

Série África do Sul: Cidade do Cabo

Posted on
Série África do Sul: Cidade do Cabo

Não fique triste por ser segunda-feira, essa é uma semana feliz! Começou a Semana da África do Sul no Delícia de Blog! YES! Ao longo dos próximos dias, vou contar pra vocês o que vi de mais bacana nos dez dias que passei no país, conhecido pela boa infraestrutura de safáris. Se as savanas já são motivo suficiente pra ir pra lá, o destino fica ainda mais especial com as vinícolas, praias, lugares históricos e muitas hospedagens de luxo – onde um dia hei de passar a minha lua de mel. Vamos começar pela cidade mais turística do país, Cape Town?

Cape Town, ou Cidade do Cabo, é como se fosse o Rio de Janeiro da África. Verdade! Não tem samba nem Cristo, mas tem aquela bela mistura de praias e montanhas que os cariocas conhecem bem, com bondinho e tudo. O tal bondinho leva ao topo da montanha superstar: a Table Mountain – o que todo turista lá quer ver. Trata-se de uma montanha com um enorme planalto no topo, com 3 km de extensão, onde você pode caminhar com vistas lindíssimas da cidade. Isto é, se o clima ajudar, e não estiver chuvoso ou encoberto – por isso é recomendável planejar o passeio no começo da viagem, pra ter a chance de tentar de novo caso não dê certo. Eu tive um dia só na Cidade do Cabo e, adivinhe: não deu certo. A foto aí em cima é de divulgação, no dia em que eu fui estava nubladíssimo 🙁

Vista que um turista azarado (eu) tem da Table Mountain
Vista que um turista azarado (eu) tem da Table Mountain

Mas isso não me impediu de passear na Camps Bay, praia mais badalada da cidade, cercada de restaurantes e barzinhos bacanas. Para aproveitar melhor meu dia em Cape, optei por fazer o tour no Red Bus, aquele ônibus turístico que circula pelos principais pontos turísticos com audioguia, e permite ao turista descer nas paradas e subir de volta a hora que quiser. Custa 150 rands, hoje equivalente a R$ 33.

Camps Bay tem areia fininha e água gelaaada
Camps Bay tem areia fininha e água gelaaada

Vale a pena até para quem tem mais tempo na cidade, pra dar uma visão geral no primeiro dia. Você pode começar o tour pela parada que quiser, mas o centro de apoio e ponto de partida oficial fica no Victoria & Alfred Waterfront, centro de compras e entretenimento que fica no porto fofinho. Há um grande mercado de artesanato e muitos restaurantes por ali, assim como uma boa estrutura hoteleira. Lá, passei uma noite no Lawhill Luxury Apartments, que tem apartamentos completinhos – com sala, quarto e cozinha – de tamanhos variados. Há desde apês com jeitinho de hotel até acomodações luxuosas para famílias, com piscina privativa e tudo. A diária parte de 3.300 rands, ou R$ 740.

O mercado de artesanato do Waterfront tem todo tipo de africanidades
O mercado de artesanato do Waterfront tem todo tipo de africanidades
E tem o melhor tempero africano de uma cidade cosmopolita
Com coloridos exemplos da receptividade dos africanos
Os melhores quartos do Lawhill têm uma grande varanda com piscina privativa (Foto: Divulgação)
E fica vizinho ao Lawhill Apartments, que tem alguns quartos com piscina privativa (Foto: Divulgação)

Outra boa opção é se hospedar na Long Street, uma rua movimentada com bastante comércio e restaurantes, e também ponto de parada do Red Bus. Meu hotel favorito fica lá: é o The Grand Daddy Hotel, onde é possível passar a noite em um trailer temático bem divertido estacionado na cobertura do prédio. Já leu o post sobre ele?

A Cidade do Cabo é a cidade mais jovem e animada da África do Sul, com uma cena artística tão interessante quanto a bem aproveitada natureza no espaço urbano. Mas “espaço urbano” não é exatamente o motivo pelo qual você viaja até a África, certo? Então volte aqui amanhã, quando o assunto da série sul-africana será safáris. 🙂

*Todos os posts sobre a África são resultado de uma viagem de imprensa realizada em parceria com a Nicky Arthur PR e a South African Airways.

Facebook Comments

Author: Raíra Venturieri

Raíra Venturieri é jornalista, roteirista, escritora, filósofa de boteco e sim, bem tagarela. Foi repórter do Guia Quatro Rodas e tem matérias publicadas nas revistas Viagem e Turismo, Host & Travel e Viaje Mais, entre outras.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *