Lifestyle

O que aprendi com o documentário Fed Up

Cafe da manha saudavel inspirado pelo documentario Fed Up

Hoje resolvi mudar o assunto do blog pra falar sobre um tema que despertou muuuito interesse no Instagram: vida saudável! Na verdade, comecei um papo sobre alimentos sem açúcar adicionado depois de assistir o documentário Fed Up, disponível na Netflix.

O filme fala sobre o problema da obesidade infantil nos Estados Unidos, e como a indústria de alimentos pressiona o governo e até mesmo a OMS a relevar o impacto do açúcar nos alimentos hoje servidos pras crianças e adolescentes no país. Isso não afeta apenas os programas estatais – como o almoço em escolas públicas, por exemplo – mas também cria uma cultura de desinformação perigosíssima.

A “desinformação”, segundo o doc, você com certeza já ouviu: é a premissa de que se você fizer exercícios e consumir menos calorias, irá emagrecer. E que, se você não emagrece, a culpa é da sua indisciplina. Quem já lutou alguma vez contra a balança sabe que a equação não é tão simples assim e, se fosse, o problema da obesidade não estaria crescendo tanto, nos EUA e no mundo!

O que pouco se discute é a qualidade dessas calorias. É o fato de que 100 kcal de refrigerante não são, de forma alguma, a mesma coisa que 100kcal de amêndoas, por exemplo. E escolher um industrializado pouco calórico em vez de uma fruta pode ser o maior tiro no pé.

Bom, eu já falei demais e acho que se você chegou até aqui, tem mais é que assistir o documentário, que fala de forma muito mais interessante e embasada sobre isso. Inclusive, explica como seu corpo absorve o açúcar e no que ele se transforma depois, de acordo com a forma como você consome (numa fruta cheia de fibras ou num refri, por exemplo).

Mudanças para uma vida mais saudável

Depois que assisti, corri pra cozinha pra ler aquela tão ignorada listinha de ingredientes que vem em todo produto industrializado. E adivinha: até meu pão de forma integral tinha açúcar adicionado. Eu, assim como os adolescentes gordinhos do Fed Up, caí no conto do alimento que é vendido como saudável, só que não é.

Claro que existem pães sem açúcar, assim como tem iogurtes, granolas, chocolates e uma infinidade de coisas. Basta você ir ao mercado com essa preocupação, e com muita paciência pra ler o rótulo de tudo! Mas também vai ter coisa que não tem jeito, como o meus amados toddynho e sorvete da Haagen Dazs. Pelo menos a conta do mercado diminiu! hahaha

Eu fiz essa mudança há exatos oito dias, e vou te falar: já emagreci dois quilos. Comendo bem, porque só cortei mesmo o açúcar adicionado. Todos os dias faço meu ovinho com manteiga, vivo comendo banana frita no óleo de coco, pipoca, queijo assado, carnes… Até rodízio de japonês teve!

Isso significa que: sim, eu poderia ter emagrecido muito mais. hahaha! Mas a verdade é que só de fazer a “pequena” mudança de evitar açúcar, o impacto no organismo já é muito grande! Também admito que outros hábitos recentes contribuiram pra perda de peso: eu cortei as bebidas alcóolicas, que já consumia muito pouco, e tenho comido bem menos à noite, optando por jantares mais leves e mais cedo. Concentrando as “gordices” pro começo do dia, a chance de digerir tudo direitinho antes de dormir é bem maior!

O desafio do Fed Up

Por fim, gostaria de propor o desafio sugerido no filme, de evitar o açúcar adicionado por pelo menos dez dias e avaliar o impacto que isso teve no seu organismo. Acho que tem grandes chances de você virar adepto! Mas sem loucuras tá: se sentir fraqueza, dor de cabeça ou algo assim, come um docinho e vai cortando aos poucos. Já foi bem provado que açúcar vicia, então uma certa crise de abstinência é até esperada…

Algumas dicas boas que recebi no Instagram pra matar a vontade de doce: morango com tâmaras, fruta do conde, papinha de bebê (fiquei curiosa, juro!) e banana, muita banana. Além de ser gostosa pura, assada ou frita, a banana também pode ser base pra muitas receitas: bolos, panquecas, sorvetes… Uma das sugestões mais simples foi congelar banana e bater no liquidificador com cacau quando bate aquela vontadinha. Amei!

Claro que tudo isso é mais fácil de seguir quando a gente tá em casa, numa boa, num home office. Na rua ou em viagem, já fica mais complicado. O jeito é tentar andar sempre com alguma frutinha ou snack saudável, como esses que se vende nas lojas naturebas da vida. Eu, que sou novata nisso, aceito sugestões!

Espero que gostem das ideias e se inspirem! Toda sugestão, dica, e informação será muito bem-vinda: juntos a gente se informa melhor e se fortalece nessa busca difícil por uma vida mais saudável e livre das tentações do mundo industrializado. Vamos?

PS. Também já falei aqui no blog sobre Jejum Intermitente, você viu? 🙂

Facebook Comments

Deixe um comentário