Viagem

O bairro descolado de Buenos Aires

Que obelisco que nada! Buenos Aires tem muito mais a oferecer aos turistas do que seus monumentos mais famosos. Se você já visitou a capital da Argentina alguma vez, certamente já conheceu o tal do obelisco, já comeu uma parrilla em Puerto Madero, tirou foto com o sósia do Maradona em La Boca e fez compras na Calle Florida. Hora de deixar tudo isso para trás.

Para sua próxima visita à Buenos, tenho uma dica que se resume a una palavrita: Palermo. Ai, Palermo, Díos mío! O bairro é considerado o mais descolado da cidade, isso porque reúne os restaurantes mais bacanas, os bares bem frequentados, as lojinhas autênticas de estilistas portenhos e muitas praças e áreas verdes. Pra completar, é cheio de hotéis-butique que são um charme só, e têm diárias bem mais em conta do que a classificação “butique” sugere.

Palermo é dividido em três partes: Palermo Hollywood, Palermo Viejo e Palermo Soho. Na prática, a diferença não é muito grande entre eles. Em Palermo Soho fica a Plaza Cortázar, que abriga uma feirinha aos finais de semana e é onde convergem ruas sensacionais para compras (Serrano, El Salvador e Honduras são as mais conhecidas, mas toda a região tem lojas bacanas). Mas como tudo é perto, nem precisa se hospedar no próprio Soho. Eu fiquei no hotel Be Hollywood! (em Palermo Hollywood) e amei a localização.

Ao redor da Plaza Cortázar se concentra o agito, com bares e lojas moderninhas
O bairro também conta com lojas de decoração bem interessantes, como a Capital, na calle Honduras

Como estava acompanhada na viagem, fui moderada com as compras (olha que namorada bacana). Mas não saí de lá sem uma bela bolsa de couro (300 pesos, ou R$ 120), um óculos de sol moderninho (50 pesos/R$ 20), bijuterias e uma ou outra roupitcha. Se você prestou atenção nesses valores, vai perceber que o peso está bastante desvalorizado. Encontramos uma casa de câmbio que dava 2,50 pesos para cada real, a melhor taxa que já encontrei na Argentina.

Em meio às lojinhas, muitos bares e restaurantes lotam as calçadas de mesinhas, que ficam bem disputadas em certos horários. Mas mesmo com a grande quantidade de turistas, o clima lá é muito agradável, nada comparável à multidão e aos prédios altos da rua de compras mais famosa de Buenos, a Calle Florida.

Você pode dar uma passada rápida por essas ruas ou ficar muitas horas por ali, depende da sua disponibilidade (de dinheiro e de paciência) para fazer compras. Mas procure não passar o dia inteirinho nisso, já que Palermo é também o bairro do maior parque da cidade, o Três de Febrero. Nele, há um jardim japonês muito lindinho (que cobra entrada à parte, de 16 pesos/R$ 6,50) e um bem cuidado roseiral, com mais de 14 mil roseiras. Fique esperto, porque o roseiral fecha às 17h e o jardim japonês às 18h, e ninguém avisa isso antes.

Brincamos de fazer fotos “artísticas” no jardim japonês
E nos apaixonamos pelo roseiral do parque Tres de Febrero

O parque também tem áreas verdes e pista para andar de patins e bicicleta – inclusive dá pra alugar lá. Como é totalmente aberto, como uma imensa praça, aos finais de semana e feriados o parque fica tomado por artistas de rua. Na minha caminhada por lá, topei com um grupo de teatro infantil e uma trupe de comediantes que também eram dançarinos de break.

Artistas no parque, que faziam batalhas de break e de humor

Para completar, o Três de Febrero fica ao lado do zoológico e do jardim botânico, para quem quer ver ainda mais natureza. Viu só como Palermo é um bairro incrível? Para quem curte passeios ao ar livre e compras diferentes, é impossível aproveitar bem a região em um dia só. Mas nem precisa, já que o bairro por si só vale a viagem toda. Se lojas e parques podem ocupar muitos dias, as noites ficam muito bem servidas com a ampla oferta de restaurantes da região.

Neste quesito, deixo três breves indicações: o La Pescadorita (Humboldt, 1905), onde fiz a melhor refeição da viagem; o exótico Rave (Gorriti, 5092), que tem um clima bem aconchegante; e o afrodisíaco (e careiro)  Te Mataré, Ramirez – que só vale se você tiver a curiosidade de conhecer o famoso couvert artístico que vai de teatro erótico a otras cositas más.

Mas a melhor dica que posso dar neste post é: vá a Buenos Aires. A moeda barata torna essa viagem bem em conta, e vale a pena ir até mesmo em um feriadinho. Fique atento às promoções das companhias aéreas e boa viagem!

Facebook Comments

Comments

  1. […] que escrevi sobre Palermo, o bairro cool de Buenos Aires, algumas pessoas comentaram que vão à capital portenha em breve. Por isso, achei que era questão […]

    Responder

Deixe um comentário