Inspiração, Viagem

Que vidão, hein?!

Sempre que embarco em uma nova viagem, ouço diversos comentários do tipo “que vida boa hein”, “que inveja branca” ou o clássico “quero ser como você quando crescer”. Eu rio e desconverso, mas no fundo sempre fico um pouco incomodada. É uma vida boa? É sim! Tá muito distante da sua? Não!

Nessa viagem que fiz pra Nova York em junho ouvi muito isso. Na maioria das vezes, de gente que ganha mais dinheiro do que eu (e nem imagina o quanto economizei pra viajar). Aí sempre penso “Será que você quer mesmo essa vida? Por que não vive?”. A verdade é que, pra algumas pessoas dessa bolha chamada classe média paulistana, viajar é mais uma questão de atitude do que de condições financeiras.

Nem to falando de largar seu emprego e viver uma vida de aventuras. Muito menos se endividar pra isso. Alou! Eu sou CLT também, trabalho 44 horas por semana em um escritório, faço freelas, dependo de férias e feriados para viajar. Preciso economizar, me planejar, como todo mundo. E amo isso! Já vivi a liberdade de ser só freelancer, e não troco a segurança que tenho hoje pela vida sem rotina (e sem controle financeiro) que eu tinha antes. Só aprendi a equilibrar os dois lados e aproveitar ao máximo o tempo livre e as oportunidades de viajar que meu emprego me dá.

Então se você acha que pra ser feliz, viajado e tirar aquelas fotos lindas pro Instagram você precisa ser rico, ou desapegado, ou desempregado (rs!), pense de novo! E aproveite e encaixe nos seus pensamentos um plano pra começar agora a viver a vida que você quer, seja ela de grandes aventuras, de escapadas de fim de semana ou de sofá e Netflix. Todas as anteriores são super válidas, tá? Só não vale sonhar com uma vida diferente protegido pela certeza de que não é pro seu bico, em vez de lutar para ir atrás do que você realmente ama. Às vezes não é fácil, mas no fim sempre vale a pena.

Tenho um vidão, mesmo. E, se quiser, você pode ter também. Bora?

Facebook Comments

Deixe um comentário