Categories África, Viagem

O metrô caretinha de Johannesburgo

Posted on
O metrô caretinha de Johannesburgo

A cena foi engraçada: quatro menininhas entrando no metrô em Johannesburgo, uma policial correndo e apitando atrás. Dios mío, que medo! A cena toda foi porque duas das quatro menininhas estavam mascando chiclete. Sim, chiclete! É proibido entrar no metrô com chiclete na boca, assim como é proibido comer ou beber qualquer coisa dentro dos trens e estações. Eles estão cheios de policiais e – tchan tchan – a multa é de 700 rands para quem for pego cometendo os delitos! Isso equivale a R$ 170, imagine só.

Parece muito exagerado, e é,  mas o resultado é um metrô infinitamente mais limpinho do que o que estamos acostumados. Claro que conta a esse favor o fato de o metrô aqui – chamado de Gautrain – ser super novo, já que foi construído para a Copa do Mundo de 2010. As linhas não cobrem a cidade toda, mas estão presentes nos lugares mais turísticos e há até uma estação em Pretória, cidade vizinha e capital administrativa. É um lado muito asséptico e civilizado de Johannesburgo, cidade mais conhecida pela pobreza e o risco de assaltos – problemas que não me parecem muito maiores do que em qualquer metrópole de um país em desenvolvimento (oi, São Paulo).

Facebook Comments

Author: Raíra Venturieri

Raíra Venturieri é jornalista, roteirista, escritora, filósofa de boteco e sim, bem tagarela. Foi repórter do Guia Quatro Rodas e tem matérias publicadas nas revistas Viagem e Turismo, Host & Travel e Viaje Mais, entre outras.

0 comments

  1. ah hahah mas o metro daqui é limpinho vai? pelo menos, tive a oportunidade de andar de metro em buenos aires (alo-ou? umidade?) e em nova york (alo-ou? estou num banheiro publico?) e foi até um alivio usar o metro de sp (alo-ou? china?).

    1. hahaha sim, o metrô de São Paulo é minúsculo para a cidade, mas é de fato muuuito mais agradável ao olfato do que em qualquer outra metrópole que conheci. O “oi, São Paulo” foi mais para os problemas urbanos, como a insegurança, que eu tenho certeza que não são piores em Johannerburgo.

  2. É uma falsa sensação de controle em um ambiente muito desestruturado. Cape Town, lá longe na peninsula, n manteve com tanto afinco as mudanças que foram feitas para a copa. Na principal estação do metro, são mais de 15 terminais com catracas eletrônicas novinhas e desativadas (mas que permanecem no meio do caminho…). A caretisse também foi deixada de lado! O que funcionou muito bem para quem quis curtir um momento lov a dois brindando Amarula no trem que segue para Simon’s Town, um caminho lindo de morrer pelos rochedos na costa do mar!

    1. Own! É, acho que também sou mais time love do que time careta, mas é muito triste quando não mantêm e aproveitam a infra-estrutura desenvolvida para a Copa. Tive muito pouco tempo nas cidades grandes daqui, e a única coisa que posso dizer que ficou são os aeroportos reformados e bonitinhos – apesar das muitas placas de “wifi spot” onde não tinha nem sinal de internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *